Saia do quadrado, divirta-se e trabalhe.

Esse texto discorre sobre uma ótica diferente e atual de pensar a sua carreira profissional.

Na história da humanidade vida e carreira estiveram juntas desde sempre, após a era industrial foram separadas, e hoje começou a ser repensada e reunida novamente. O que me deixa muito feliz, pois nunca deveriam ter sido separadas. Tornamo-nos indivíduos divididos, culpados quando trabalhamos demais e também culpados quando priorizamos questões pessoais em detrimento da carreira que escolhemos. Posso citar dezenas de casos de profissionais que me procuram angustiados, pois não estão conseguindo resolver o que priorizar. Invariavelmente meu conselho é siga o seu coração e priorize o que te deixa mais feliz.

A ideia de que devo me sacrificar por 40 anos para chegar ao nirvana da aposentadoria é falsa. Apesar de incutida nos nossos cérebros pela sociedade de consumo, que precisa de talhadores para as fábricas e consumidores para os produtos. Presenciei jovens de 40 anos infartados, profissionais bem sucedidos que tiveram a vida pessoal destruída e até profissionais abandonando tudo ou cometendo suicídio. O caso mais pitoresco foi de um empresário bem sucedido que aos 58 anos decidiu que não iria mais trabalhar na empresa que ele criou, foi morar com a mãe e quando ligavam para ele respondia com latidas. A família achou que havia enlouquecido, na verdade só estava querendo reassumir sua vida. Será que precisamos chegar a isso?  Ao mesmo tempo encontro um monte de aposentados tristes, cansados de não fazerem nada.

Hoje, vejo profissionais planejando a vida diferente, colocando nas suas vidas o que é chamado de “mini aposentadorias”. Trabalhei quatro anos, vou fazer um trabalho voluntariado em outro pais, vou morar em determinado lugar ou viajar por 1 ou 2 anos. Esses profissionais retomam suas carreiras ou encontram alternativas econômicas que garantam sua subsistência. Li relatos de pessoas que decidiram a trabalhar em casa e ir à empresa uma vez por semana e seu chefe concordou. A vida não precisa ser uma linha reta e monótona, onde já estamos antevendo nosso fim.

Existem até empresas dispostas a flexibilizar rotinas de trabalho e aceitar o trabalho em “home office”.  Houve uma cidade onde o Prefeito reduziu um dia de trabalho na prefeitura e a semana passou para 4 dias úteis e 3 de descanso, gerando economia e um aumento na produtividade.

Por isso quando pensar a sua carreira saia do quadrado, não acredite na lenda da aposentadoria, onde você sofre mais chega ao nirvana no final.

Procure juntar sua carreira com sua vida pessoal, e encontre o seu caminho. Não desista facilmente. Converse com seus amigos sobre isso, vai ver que esse é um pensamento em comum. Não tenha vergonha de falar destas questões, é a sua felicidade que está em jogo.

Viva no presente e priorize seus sonhos.



2 Comentários

  • Sonia

    Henrique boa noite !esse texto resume como devemos encarar a responsabilidade também com nossas vidas, a maioria fou educada para “criar”raízes em um único emprego, se anular como ser humano para “garantir”esse emprego, o que torna uma pessoa infeliz, sem objetivos, um robô na verdade, onde trabalhar… trabalhar é o único objetivo, ser feliz ou aproveitar a vida fica em 10o. lugar na escala das prioridades, parabéns pelo texto.

  • Uma perfeita abordagem do paradoxo vida profissional . Excelente reflexão,parabéns!

Deixe uma resposta